A ACMD e a inclusão de pessoas com deficiência

Um dos propósitos da ACMD é o respeito e a valorização da diversidade humana. Por isso, desde a fundação da entidade, em 1996, houve um envolvimento contínuo e gradual com questões ligadas à inclusão social de pessoas com deficiência. Esse tema é vivenciado, no dia-a-dia, inclusive, por membros do Conselho Deliberativo da ACMD. Por isso, desde o princípio, a associação sempre buscou compartilhar experiências, em outras cidades, através de instituições que são diretamente ligadas ao tema e que, devido à qualidade do trabalho desenvolvido, já detêm reconhecimento — como é o caso da Escola de Gente (do Rio de Janeiro) e do Grupo 25 (da Região Metropolitana de São Paulo). Em Santos, a ACMD é parceira da Associação Ecovivência — a qual desenvolve um trabalho inovador e multidisciplinar, voltado ao atendimento de pessoas com deficiência intelectual. Além disso, ainda na Cidade, a ACMD incentivou a Associação Espírita 30 de Julho a participar do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).


Atualmente, o 30 de Julho exerce mandato de titular no CMDCA, na cadeira de entidade que presta atendimento direto a crianças portadoras de necessidades especiais. Foi no CMDCA que o 30 de Julho elaborou o projeto do Centro de Diagnóstico. Essa iniciativa foi viabilizada pelo Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FMDCA). O Centro de Diagnóstico deu tão certo que estão estudando a possibilidade dele virar uma Política Pública. E a ACMD sempre apoiou essa idéia. A ACMD participa, direta ou indiretamente, do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Santos há mais de 10 anos. A associação considera importante não só a participação no CMDCA, mas também o envolvimento em todo tipo de Conselhos de Direitos — por se tratar de relevantes ferramentas democráticas que estão à disposição da sociedade civil e que devem ser por ela exercidas. Justamente, em virtude disso, a ACMD vem também participando, desde o início deste ano, das atividades do Conselho Municipal para a


Integração da Pessoa Portadora de Deficiência (Condefi). Eduardo Ravasini, assessor de imprensa da ACMD e portador de deficiência, é quem representa a associação. Agora, a ACMD quer contribuir ainda mais e, por isso, se candidatou oficialmente para ser conselheira do Condefi, no segmento de Entidade de Apoio, para exercer mandato no próximo biênio (2007/09). Por isso, contamos com a colaboração dos Delegados da IV Conferência Municipal para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência -que ocorrerá em 22 de setembro. Queremos oferecer, ao Condefi, experiências adquiridas através do envolvimento, de 10 anos, no Conselho da Criança — em especial no que se refere à educação inclusiva. Agradecemos antecipadamente o apoio de todos. 
 
Marcelo Bechelli Monteiro – Pres. do Conselho Deliberativo da Ass. Comunidade de Mãos Dadas (ACMD).