ACMD integra debate sobre inclusão no mercado de trabalho

A ACMD deu um depoimento no “I Fórum Regional – Sou Capaz” – que faz parte do Projeto Com-Ciência, da Diretoria Regional do CIESP/FIESP. O relato fez parte do 4º Painel – Panorama da Inclusão no Ponto de Vista das Pessoas com Deficiência. Cerca de 50 participantes (dentre gestores, profissionais liberais e de recursos humanos) compareceram ao evento – ocorrido no último dia 2, no SENAI de Santos.


A ACMD foi representada por seu Assessor de Comunicação, Eduardo Ravasini, que é portador de necessidades especiais: “Tivemos a oportunidade de comentar conceitos importantes como perfil profissional, identificação das potencialidades, preconceito, paradigmas do mercado de trabalho e a necessidade de haver mais conscientização sobre o tema”, frisou.


Apesar desse quadro, Ravasini destacou que já existem instituições  que incluem por consciência, e não por uma obrigatoriedade imposta pela Lei de Cotas. Como exemplo, citou a ACMD e o Colégio Sedes Sapientiae (associado da ACMD) – locais onde trabalha. Ambos, pela Lei, não precisariam ter deficientes em seus quadros de funcionários, mas o fazem por ser uma questão de responsabilidade social.


“A inclusão traz benefícios não só para o deficiente, mas para todos que acabam se envolvendo nesse processo”, acrescenta a Coordenadora Executiva da ACMD, Deborah Okida. Alguns dos fundadores e conselheiros da entidade têm envolvimento com inclusão, desde antes da existência da ACMD. Portanto, o respeito à diversidade humana já é uma prática devidamente consolidada na Associação.


Mais recentemente, outro fator que colaborou para fortalecer ainda mais essa visão foi a aproximação e parceria com a Escola de Educação Especial e CEB 30 de Julho – que também foi um dos expositores, durante o mesmo evento. Na ocasião, estava representado por sua Assistente Social, Marcia Rebelo.


Dentre o profícuo relacionamento entre a ACMD e o 30 de Julho, merece destaque o envolvimento com o “Centro de Diagnóstico” – desde a sua concepção até a viabilização final, por meio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Santos.


Clique aqui para ver a cobertura completa do evento, pelo CIESP/FIESP.  


Clique aqui para ler um artigo sobre o “Centro de Diagnóstico”, escrito pela ACMD.