ACMD mostra resultados do projeto “Pólo Aquático – O esporte com ferramenta de inclusão social” aos patrocinadores

Na última quinta-feira à tarde, o presidente da ACMD, Eduardo Vianna Júnior, o coordenador técnico, Léo Pasquali e toda equipe do projeto “Pólo Aquático – O esporte com ferramenta de inclusão social” estiveram presentes no Centro Esportivo e Recreativo Manoel Nascimento Júnior (M. Nascimento), para mostrar para aos patrocinadores, os resultados alcançados em um ano de projeto.


“Nós já tivemos uma experiência com o Pólo Aquático há mais ou menos 10 anos, fruto de uma parceira entre o Inter e o McDonald’s e mais recentemente no Caruara, num projeto financiado pelo Fundo Municipal dos Direitos da Criança e adolescente (FMDCA). Neste projeto, viabilizado pelo Ministério do Esporte, nós também alcançamos o sucesso, já que tiramos da ociosidade quase 300 crianças e adolescentes, que puderam ter a oportunidade de conhecer um esporte ainda pouco difundido no Brasil”, declarou Vianna Júnior.


O coordenador do projeto, Léo Pasquali falou sobre o desenvolvimento das crianças e adolescentes com a chegada do projeto e ressaltou a importância da continuidade. “As crianças já se acostumaram com o projeto. Esse é o tipo de rotina que é extremamente saudável para as crianças. Inclusive, já foram identificados alguns talentos, que estão treinando no Inter. A ACMD conseguirá manter o projeto com recursos próprios por poucos meses, mas é fundamental que as empresas se interessem em patrociná-lo ainda este ano”, disse.


“Quando assumi o Centro no início deste ano, no período de férias, só havia uma atividade em andamento: o projeto do pólo. Os professores e os profissionais envolvidos estavam sempre presentes e havia dezenas de crianças a espera da aula começar. É possível ver a motivação dos profissionais e o desejo das crianças na prática pelo pólo aquático. É um projeto que dá certo”, afirmou a coordenadora do M. Nascimento, Rose Augusto.


Confira os principais resultados do projeto:


– 290 crianças e adolescentes passaram pelo projeto;
– 21 participantes destacaram-se e atualmente treinam no Clube Internacional de Regatas;
– 20 escolas foram visitadas;
– 50 palestras realizadas;
– 20 festivais realizados aos sábados com a participação da comunidade;
– 1 Festival Nacional de Pólo Aquático Juvenil teve a participação dos alunos do projeto, que representaram o Clube Internacional de Regatas;
– 1 Campeonato Paulista de Pólo Aquático teve a participação dos alunos do projeto, que representaram o Clube Internacional de Regatas;
– 3 atividades conjuntas com a equipe profissional de Pólo Aquático do Clube Internacional de Regatas;
– 26 matérias divulgadas na imprensa e no site da ACMD.


O projeto
O projeto “Pólo Aquático: O Esporte como Ferramenta de Inclusão Social” é realizado pela ACMD, executado por meio da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, do Ministério do Esporte, na qual permite que empresas que declarem imposto de renda pelo lucro real destinem até 1% do valor devido para projetos esportivos. Neste caso, as empresas parceiras são Codesp, Sabesp, Mcdonald’s, Martin Brower, Mesquita Locações e FSB Foods.