ACMD Participa de evento sobre Responsabilidade Social em SP


O evento “ECA 15 anos – Avanços & Desafios” foi promovido pelo Banco Real em São Paulo, em 15 de julho. Deborah Okida, Diretora Executiva da ACMD, representou a Associação no encontro.



Na oportunidade, houve apresentações de projetos da Fundação Abrinq, Instituto Telemig Celular, e da Associação de apoio à criança em situação de risco (ACER).



Aconteceu, na ocasião, também uma palestra, na qual foi demonstrado um breve histórico sobre a participação da sociedade civil no que se refere aos direitos da criança e do adolescente.



O Banco Real demonstrou o seu projeto”Amigo Real”, criado em 2002, é uma iniciativa de assistência à criança e ao adolescente que já atendeu a 46 municípios do país. Neste ano, investirá R$ 800 mil para viabilizar a realização dos programas de assistência dos Conselhos Municipais aos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCAs).



Desde o início, do “Amigo Real” o banco já conseguiu atender a mais de 20 mil crianças e adolescentes, com uma verba de aproximadamente R$ 5 milhões. Um dos principais objetivos do projeto é estimular funcionários e clientes a doarem para os Fundos Municipais da Criança e do Adolescente (FMCAs).



Já a Telemig Celular criou o Pró-Conselho, projeto de maior abrangência do Instituto. Consiste em um programa de fortalecimento dos Conselhos Tutelares e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, no Estado de mInas Gerais.



Lançado em abril de 2001, tem o objetivo de abrir caminho para uma nova forma de atuação, de modo a contribuir para que sejam mais capacitados e alinhados com os métodos de gerenciamento eficazes, a fim de alcançarem melhores resultados.



O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) permite que as empresas e as pessoas participem das questões que envolvam o desenvolvimento dos jovens. Tanto o funcionário quanto à empresa podem optar por deixar no Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FMCA) parte da contribuição que seria dirigida à Receita Federal



A gestão participativa na atuação da sociedade, em conjunto com os governos, é fundamental para o aperfeiçoamento das Políticas Públicas.