Aplicativo de celular é uma arma contra o trabalho infantil

Um bom exemplo para os programadores brasileiros vem dos nossos vizinhos colombianos. Trata-se do aplicativo Kid Rescue (resgate de criança, em inglês), que ajuda a denunciar o trabalho infantil naquele país e já foi baixado por milhares de pessoas na App Store.


Com o aplicativo (ainda só disponível para produtos da Apple), qualquer cidadão pode ajudar: basta fazer um “check-in” no lugar onde a criança ou adolescente está trabalhando, se possível tirar uma foto e postá-la. O usuário também pode fornecer informações adicionais, como nome, tipo de trabalho e a idade aproximada.


Os dados são enviados para um site, com acesso restrito para um grupo de assistentes sociais que trabalham para a Fundação Telefonica e que têm a missão de resgatar crianças das ruas da Colômbia. De acordo com a instituição, mais de mil crianças já foram identificadas e 67 foram tiradas da rua.


Para se ter uma ideia, em todo o planeta há 72 milhões de crianças que não freqüentam a escola e, assim, estão vulneráveis ao trabalho infantil (informações do Unicef). No Brasil, com base em informações do IBGE, há 3,7 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos realizam algum tipo de trabalho. Os menores de 14 anos, proibidos de trabalhar por lei, são 700 mil.


As denúncias sobre exploração de mão de obra infantil podem ser feitas para a Secretaria Especial de Direitos Humanos, pelo número 100 ou pelo e-mail disquedenuncia@sedh.gov.br, mas imagine o que um aplicativo como Kid Rescue poderia fazer no Brasil.