Aquecimento global poderá provocar queda na produção agrícola

O aumento da temperatura global provocará um menor crescimento da agricultura brasileira nos próximos anos. É o que diz o estudo “Aquecimento Global e Cenários Futuros da Agricultura Brasileira”, elaborado em parceria pela Universidade de Campinas (Unicamp) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Os dados foram divulgados em 11 de agosto, durante o 7º Congresso Brasileiro do Agribusiness, em São Paulo. 


 


Foi feita uma projeção a respeito do impacto que o aumento da temperatura poderá causar sobre a agricultura nos anos de 2020, 2050 e 2070. A pesquisa avaliou os seguintes alimentos: algodão, arroz, feijão, café, cana-de-açúcar, girassol, mandioca, milho e soja. Para a maioria dessas culturas, a área de plantio diminuirá, conforme o levantamento, e conseqüentemente a produtividade também. Mas, há exceções. 



A mandioca é um dos alimentos que não serão muito afetados com o aquecimento global, por se adequar com mais facilidade a altas temperaturas. Embora, muito provavelmente no futuro, o Nordeste deixe de ser um local apropriado para cultivar mandioca, ela poderá ser plantada na Amazônia, ainda que não imediatamente. Outro caso atípico é o da cana-de-açúcar, cuja produção deve crescer devido à elevação do calor no Planeta.


 


Mais detalhes no Site do Mercado ético.