Autoestima, caráter e saber dialogar formam o novo perfil do profissional no Século XXI

Ter autoestima, caráter, saber liderar e dialogar. Essas são as algumas das características que formam o perfil do profissional procurado pelas empresas, que também começam a ver na espiritualidade um modo de se chegar ao sucesso. Isso é o que explica o consultor e escritor, Alkíndar de Oliveira, autor do livro Liderança Saudável. A ACMD também defende a necessidade de haver transformações nas lideranças e, justamente por isso, a Associação, promove “Vivências em valores humanos”. A próxima acontece agora, no mês de abril.


A liderança no atual mercado de trabalho, conforme explicou Alkíndar, precisa ser conquistada. O bom líder dialoga e faz perguntas, não querendo mais saber o porquê do erro, mas o que pode ser feito para acertar. O novo modelo de líder deve também dar oportunidades a seus colaboradores para que eles contribuam, oferecendo ideias e soluções.


Atualmente, segundo Oliveira, o profissional de destaque é aquele que consegue atingir um equilíbrio entre razão e emoção. Isso ocorre devido ao fato das pessoas ficarem mais envolvidas com os trabalhos quando empregam não apenas o raciocínio, mas o coração, a espiritualidade, melhorando assim a produtividade.


Diálogo – Um dos grandes desafios nas empresas é superar os conflitos interpessoais, que além de complicar o relacionamento da equipe, prejudica os resultados. A melhor solução para isso, ainda segundo Oliveira, é o diálogo. Dialogando é possível inspirar o grupo a chegar a uma boa proposta, e criando algo em parceira o comprometimento é bem maior.


Para se estabelecer um bom diálogo, é preciso adotar uma metodologia, de acordo com o consultor. A primeira é estabelecer regras, limites e determinar um padrão para a equipe. No segundo momento, as pessoas irão apresentar suas repostas para a questão, sem se preocupar com o consenso. Em seguida, haverá o questionamento das propostas. Por último, o grupo tem que concordar com a proposta escolhida.


Para que essas etapas transcorrem de modo a se chegar ao último item, é preciso haver um facilitador, responsável para desemaranhar as situações. Geralmente, o facilitador é escolhido naturalmente pela equipe e tem a capacidade de conciliação e de ouvir os outros.