Conferência e encontros internacionais contra o trabalho infantil

Com o intuito de identificar, discutir e compartilhar estudos, práticas e experiências bem-sucedidas de combate ao trabalho infantil na América Latina, surgiu o IV Encontro Internacional contra o Trabalho Infantil. Espera-se que o conteúdo final produzido em suas etapas virtuais e presenciais seja levado como contribuição latino-americana para as discussões da III Conferencia Mundial sobre Trabalho Infantil – que será realizada no Brasil, em 2013.


A segunda etapa do Encontro, programada para outubro de 2012, abordará temas ligados a América Central e Caribe; na terceira etapa, será conhecida a situação do México e outras experiências a nível internacional; e a última etapa, prevista para junho de 2013, tratará de temas relativos ao Cone Sul e o encontro presencial ocorrerá no Brasil.


Na América Latina, existem 14 milhões de crianças em situação de trabalho infantil entre 5 e 17 anos, o que representa cerca de 10% do total de crianças nessa faixa etária (141 milhões). Destes, 9,4 milhões realizam trabalhos perigosos, que ameaçam sua integridade física e psicológica. Erradicar o trabalho infantil é um compromisso internacional, partilhado por governos, organizações sociais, professores, pesquisadores, empresas, famílias e membros da comunidade em geral.


Essa mobilização mundial pretende identificar, discutir e disseminar estudos, práticas e experiências bem-sucedidas a respeito do tema em questão na América Latina. Com esse debate, espera ajudar a construir conhecimento sobre a causa e contribuir com as discussões da III Conferência Mundial sobre Trabalho Infantil,  que será realizada no Brasil no ano que vem (2013). Busca também fortalecer regionalmente a rede de pessoas e instituições que atuam na proteção dos direitos da criança e do adolescente e, mais especificamente, no enfrentamento a esse problema.


Além disso, todos os participantes ainda terão acesso a uma rede social no ambiente do encontro, integrada ao Facebook e ao Twitter, em que poderão compartilhar informações, inserir fotos, informações de perfil, entre outros. Esta rede social permitirá que todas as pessoas possam se comunicar, estabelecer conexões e trocar experiências. Esta é uma forma que o encontro utiliza para ativar o capital social, a inteligência coletiva e a colaboração entre os participantes e, assim, fortalecer a rede dos que atuam pela causa.