Consumo do capital ecológico é maior do que a capacidade de regeneração da Terra

Estudos comprovam que o capital ecológico estimado para ser consumido durante este ano foi praticamente todo gasto em apenas um semestre. Dentro desse raciocínio, as reservas da Terra acabariam em 21 de agosto. É claro que isso não acontecerá na prática, mas é um relevante indicativo de que a humanidade está deixando um grande problema para as gerações futuras. Há anos, a ACMD se envolve com afinco nas questões de sustentabilidade – realizando e divulgando palestras, seminários e vivências sobre o assunto.


O alarme vem da Global Footprint Network. A entidade calcula a chamada “Pegada Ecológica” – uma média de consumo, dividida para cada país, das reservas ambientais do Planeta. Esse conceito leva em consideração os hábitos de cada nação.


No caso do estudo mencionado acima, se fôssemos traçar um paralelo, é como se a humanidade gastasse em apenas um semestre o dinheiro previsto para ser utilizado durante todo o ano. É exatamente isso o que fazemos com as reservas do meio ambiente. E, obviamente, este prejuízo é empurrado para as próximas gerações.


O resultado global demonstra que consumimos 50% a mais do que o limite máximo que o Planeta suporta. Somente a soma de milhares de condutas individuais é capaz de reverter esse quadro. É a multiplicação de pequenos gestos cotidianos que acaba fazendo a diferença.


Clique aqui e veja um dos exemplos de que a ACMD se preocupa com o assunto há anos. Inclusive, a questão da pegada ecológica já estava no conteúdo de nossas palestras através de Homero Santos, em 2005.