Especialistas da ONU pedem empenho para mudar a vida das crianças brasileiras

Desigualdades baseadas em raça, classe social, gênero e localidade geográfica dificultam o cumprimento, pelo Brasil, das recomendações da ONU em defesa dos direitos da criança, motivo de convenção internacional ratificada pelo país em 1990. Técnicos do Comitê da ONU para a Infância recomendaram no último dia 1º, em audiência pública promovida pela Frente Parlamentar pela Criança, Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Adolescente (ANCED) e Save the Children Suécia, que o Brasil deve adotar medidas para impedir o assassinato de crianças, investigar as violações de seus direitos e monitorar o sistema de adoção.Clique aqui e leia a íntegra da matéria.