Índice de mortes de gestantes também é alto na Baixada Santista

Uma avaliação, feita pelo Programa de Mestrado em Saúde Coletiva da UniSantos, com 15 hospitais da Região, revelou que o número de mortes de gestantes é alto na Baixada Santista – 59,62 a cada 100 mil nascimentos. Essa taxa é superior à média de países como Armênia, Azerbaijão e Cazaquistão. Os dados, que foram publicados nos últimos dias pelo Jornal A Tribuna, são de 2008.


Conforme a metodologia aplicada, o índice contabiliza os falecimentos de mães durante a gravidez e até 42 dias após seu término – não considerando as mortes causadas por acidentes ou em decorrência de incidentes.  O estudo, intitulado: Caracterização da Mortalidade Neonatal e Perinatal na Região Metropolitana da Baixada Santista”, também apontou a falta de padronização nas consultas de obstetrícia e na rotina desse serviço.


Há anos, o coeficiente da Região ultrapassa o do Estado – o qual é de 36,05. Seguem os dados das cidades da Baixada: Santos (35), São Vicente (37), Guarujá (32), Praia Grande (22), Cubatão (18), Peruíbe (14), Itanhaém (10), Bertioga (4) e Mongaguá (0). Não tivemos acesso a um posicionamento governamental que justificasse esses dados, em especial ao último.