Internautas podem comprar livros em sebo on-line

Sempre uma boa opção para aqueles que querem adquirir um livro, mas sem precisar gastar muito, os sebos — como são chamadas as lojas que vendem livros usados e raros — agora estão na internet, por meio do portal Estante Virtual, criado há três anos. Diariamente são vendidos 3 mil livros e, para este ano, a vendagem prevista e de 36 milhões de unidades.


O site conta com 3,8 milhões de livros on-line, cadastrados por sebos de todo o País, e outras 18,5 milhões de unidades off-line. Nestes casos, o internauta faz a pesquisa no portal e os sebos recebem a informação. Então, os proprietários realizam uma busca no acervo que não está cadastrado. Ao encontrar o exemplar procurado, o dono comunica o site. O procedimento leva em torno de 24 horas.


O cadastro dos livros realizados pelos 1.200 sebos participantes tem um custo mensal, o que garante a subsistência do portal. Para até 100 livros, a matrícula é gratuita, sendo a mensalidade mais cara de R$ 132,00, quando o sebo cadastra até 60 mil livros. A outra fonte de arrecadação é a comissão de 5% na venda de cada livro.


Cerca de 1,4 milhões de unidades têm o valor médio de R$ 12,00, e 2,4 milhões possuem o preço máximo de R$ 20,00. Com relação às formas de pagamento, o portal tem parceira com o um serviço via boleto bancário ou cartão de crédito.


Origem – Os sebos têm sua origem na Europa, no século XVI, quando os mercadores vendiam papiros e outros documentos para os pesquisadores e historiadores. Foi no Brasil que o termo sebo passou a designar um local que vende livros antigos ou raros.


Já a palavra sebo surgiu devido ao tempo em que não existia energia elétrica e que as pessoas liam à luz de velas, que sujavam de gordura os livros.