Jovens do Instituto Querô entram para a faculdade

Gravação-Tutorial-3-pontos-10

Gravação-Tutorial-3-pontos-10Em 2017, a Baixada Santista terá nove universitários, oriundos de uma das mais importantes entidades de formação de jovens do País, por meio do audiovisual, o Instituto Querô. Além da formação cidadã, da experimentação no mundo do trabalho, das técnicas em audiovisual, os jovens atuarão em cursos de graduação superior e poderão aplicar muitos dos conceitos adquiridos no Instituto.

“A Unimonte já se tornou como uma segunda casa pra nós, pois todo o curso do Querô é feito lá. Já conhecemos as salas de estudos, temos uma amizade com os profissionais e sem contar que é a universidade da região que oferece o curso que nos apaixonados ao passar pelo Querô, que é cinema”, comenta a jovem Isabella Rosa, que passou em primeiro lugar no vestibular, para o curso de Cinema e Audiovisual e terá como colegas de classe, Lucas Ribeiro, Bianca Stenzel e Alexia Cassiano.

“Eu estava no último ano do ensino médio sem saber direito o que queria fazer. Me achava boa escrevendo e meu trabalho dos sonhos seria promover reflexões por meio da arte, mas nunca imaginei que seria capaz de produzir um documentário, muito menos participar de um longa. O Querô me ensinou que trabalhar com cinema não é um sonho impossível, é realidade. Me apaixonei pela sétima arte que, para mim, é a mais completa”, comenta Alexia Cassiano.

Também passaram para a faculdade em 2017 os jovens Luiz Marques e Thaina Rodrigues, que cursaram as Oficinas Querô Segundo Ano, no ano passado, passaram para o curso de Pedagogia (Unimonte), além de Lucas Cravo (Comércio Exterior na ESAMC); Heitor Ferreira (Publicidade e Propaganda, na ESAMC); e Larissa Marques (Publicidade e Propaganda na Unisantos). “O Instituto me ensinou que ao criar em equipe é importante que todos tenham a mesma visão, e toda vez que você produz algo é uma chance de passar uma mensagem. Foi daí que despertei minha vontade por Publicidade e Propaganda”, finaliza Larissa.

Mais de 10 anos de parceria
Em 2005, a Gullane Filmes procurou o Unicef para pedir indicação de uma entidade da Baixada Santista que realizasse um trabalho de confiança na área dos Direitos da Criança e do Adolescente. O Unicef indicou sua parceira na Região, a ACMD, que na época, já realizava diversas ações exitosas. A partir de então, a ACMD ativou seu trabalho em rede, o que possibilitou o contato com diversas empresas e entidades.

O projeto cresceu e se transformou no Instituto Querô, que realiza as oficinas e a Querô Filmes, uma produtora audiovisual, pra onde são encaminhados os profissionais de destaque das oficinas. Nesses 10 anos, centenas de crianças e adolescentes foram atendidas, dezenas de filmes foram produzidos e prêmios conquistados. A ACMD continua como parceira institucional do Instituto Querô. Em 2016, ACMD e Instituto desenvolveram o projeto “Demorô”.