Kit trata sobre formas de combate a violência contra crianças e adolescentes


Servir como instrumento para a prevenção e o combate à violência contra a criança e do adolescente. Esse é objetivo do Kit Respeitar, um conjunto de três livros idealizado pela Fundação Orsa em parceria com Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social (Seads). Os interessados podem baixar os livros gratuitamente pela internet.



Os volumes são voltados para públicos diferentes: para as crianças e adolescentes, aos pais e responsáveis e para profissionais que trabalham com o público infanto-juvenil. Todo material foi elaborado por Anna Christina Cardoso de Mello, psicóloga da Vara da Infância e Juventude e doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP).



A equipe de desenvolvimento dos livros ainda é composta por educadores, assistente social, socióloga, juiz de direitos, mais três psicólogas e nove leitores mirins — na faixa dos sete aos 10 anos de idade — que participaram na elaboração do volume dedicado às crianças. Depois de distribuído e testado há a intenção que o conteúdo do kit, lançado em maio, se transforme em política pública a ser aplicada no País.



Um dos volumes intitulado “Queremos respeito” é voltado para as crianças e adolescentes. Neste exemplar, é utilizada uma linguagem acessível e desenhos, com a pretensão de despertar o interesse de meninos e meninas para seus direitos fundamentais. O entendimento sobre o corpo humano e como se proteger, — principalmente buscando mostrar quando os limites são ultrapassados e como solicitar ajuda, fazem parte do conteúdo.



Já a segunda publicação, com o título de “Criar respeitando”, visa os pais e responsáveis, que terão informações sobre como identificar se os filhos estão sofrendo violência física, psicológica ou sexual, — além de conter dicas sobre as atitudes que devem ser tomadas caso sejam verificadas algumas dessas situações.



Por sua vez, o guia “Cuidar respeitando” é direcionado aos profissionais que trabalham com crianças e adolescentes. Busca ensinar o cuidador a identificar sinais de coação e a intervir em muitos casos. Para isso, são tratadas também as diversas formas de informar os órgãos competentes e como se deve proceder após a notificação.