Lançada oficialmente, “Ação do Coração” prossegue até 2 de agosto

Incentivar o espírito fraterno e a prática do amor universal entre as pessoas. Esta é a principal finalidade da mobilização “Ação do Coração” – iniciada no último dia 13 e que continua até 2 de agosto. Trata-se de uma realização da Associação Eduardo Furkini (AEF), em parceria com a companhia teatral “Era uma vez”. Recebe o apoio institucional da ACMD, Fundo de Solidariedade de Santos, Sistema A Tribuna de Comunicação, dentre outras instituições.


Todos os interessados podem participar de maneira voluntária. Basta confeccionar exclusivamente corações de tecidos (recheados, como se fossem espécies de “almofadinhas”). Não importa o tamanho. A única exigência é que sejam feitos com materiais que tenham sido doados e reaproveitados.


Haverá, na Cidade, e serão divulgados posteriormente, vários postos de coleta. A meta é chegar a 10 mil corações. O desfecho dessa iniciativa acontecerá durante todo o dia 2 de agosto, na praça Mauá, em Santos. Os corações vão ser esparramados por todo o local. E cada uma das pessoas presentes, na ocasião, poderá escolher um e levá-lo consigo – como símbolo de paz e harmonia para todos. Em seguida, ocorrerá uma celebração ecumênica e uma apresentação da sinfônica do Instituto Pão de açúcar.


“A ideia é que cada confeccionador voluntário participe, de maneira artesanal, de cada uma das etapas do processo de produções das peças. E que, ao fazê-las, deposite vibrações positivas e muito amor ao próximo”, explicou o Presidente da AEF, Alexandre Camilo Gonçalves.


Segundo ele, a iniciativa consiste, literalmente, em “desejar o bem, sem ver a quem”. Camilo acredita que essa mobilização vai ser um verdadeiro divisor de águas na recente Associação – fundada para homenagear seu irmão, falecido há menos de um ano, José Eduardo Gonçalves (mais conhecido como Eduardo Furkini, nome artístico).


A programação do “ação do Coração” será extensa. Clique aqui para ver outros detalhes. 


Clique aqui para saber mais sobre Eduardo Furkini e ler matéria, publicada pela ACMD, na ocasião da fundação da AEF.