Lideranças nacionais discutem o futuro do País

Nos dias 18 e 19 de setembro foi realizado o Fórum das Lideranças Nacionais pela Concertação – O Brasil rumo ao Futuro: Construindo o Desenvolvimento Sustentável. O evento foi promovido pelo Governo Federal, através da Secretaria Especial do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social – SEDES e a Fundação Dom Cabral. A Associação Comunidade de Mãos Dadas (ACMD) esteve presente ao evento, através da participação do conselheiro da ACMD, Ronald Luiz Monteiro.O Fórum integrou o calendário anual do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social – CDES e foi conduzido pelo ministro Tarso Genro, contando com a presença de outras autoridades. Foi realizado na Fundação Dom Cabral, em Nova Lima, Minas Gerais. A Fundação Dom Cabral foi responsável por toda a metodologia utilizada nos trabalhos do Fórum.Cerca de 250 empresários de todo o País participaram do encontro que teve o objetivo de discutir o futuro do Brasil. Segundo Ronald Luiz, o Fórum foi extremamente importante para se traçar um panorama do pensamento das principais lideranças empresariais sobre o que se espera do Brasil dentro de 20 anos e como essas lideranças estão enxergando o momento atual e o que precisa ser feito para melhorar o País.Ronald explicou que o termo concertação é baseado no consenso e na união. “As pessoas pensam diferente e têm crenças diferentes, mas isso não impede que busquem juntas as soluções para os problemas que o Brasil enfrenta. É tem uma idéia comum para o bem de todos”. Durante os dois dias, os empresários participaram de dinâmicas e discussões sobre suas próprias experiências de vida e sobre como vêem o Brasil no futuro próximo. O resultado das dinâmicas e trabalhos foi apresentado num evento final. As apresentações mostraram que há muito consenso sobre o que se espera do Brasil. “Todos os grupos apresentaram mensagens positivas com muita esperança e engajamento social e o mais interessante é que um grupo não sabia o que o outro iria apresentar”.Outro ponto ressaltado por Ronald é a importância dos Conselhos. “Vemos que cada vez mais os conselhos são mecanismos essenciais para a participação efetiva e intensa da sociedade. No caso, o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social não é deliberativo, mas poderia ser. As outras instâncias de conselhos, como os de direitos da criança e do adolescente são deliberativos e vemos que estão transformando a realidade nos locais onde estão funcionando bem. Os conselhos são grandes canais para se efetivar a democracia participativa”, conclui.