Módulo com Regina Migliori alcança resultados positivos

A primeira etapa do Grupo de Estudos ministrado por Regina Migliori alcançou resultados muito positivos. Ocorreu em 14 de março, com a presença de 25 pessoas dos mais diferentes segmentos (empresários, profissionais liberais, educadores, representantes de entidades e corporações, dentre outros). O Módulo, realizado pela ACMD, terá sua segunda e última fase no próximo sábado.


Regina Migliori é consultora em Cultura de Paz da UNESCO e diretora do Instituto Migliori. Atualmente, trabalha em projetos para a área pública e para a iniciativa privada (Banco Real, Basf, Grupo Votorantim, Natura, Vale, Petrobras) – além de coordenar  programas em Cultura de Paz junto à Polícia Militar do Estado de São Paulo.


A palestrante iniciou sua fala explicando o conceito de sustentabilidade – disse que significa ter a consciência de preservar o Planeta Terra para as gerações futuras. Segundo Regina, esse pensamento surgiu há cerca de 50 anos e, com ele, nasceu uma nova categoria: “os desafios globais”. Para enfrentá-los, segundo a consultora, a única saída é resgatar e praticar o conceito de humanidade. “Ou a gente se entende como humanidade, ou não teremos soluções para os problemas que aí estão”, comentou.


Essa nova visão implica em um aumento do nível de comprometimento das pessoas, conforme explicou Regina: “hoje em dia, vivemos inseridos em grupos múltiplos – cada qual com seus dilemas”. Ela também discorreu sobre as definições de moral, lei e ética. Afirmou que a sociedade necessita de uma transformação, pois os modelos de infraestrutura e superestrutura vigentes estão desacreditados por não mais serem capazes de atender as demandas atuais. “Esta transformação é inevitável. Chegamos num ponto de não retorno. Devemos renovar nossas identidades”, concluiu.


E para alcançarmos esse patamar, sob o prisma de Regina, é necessário ampliar a nossa percepção da realidade. Durante o encontro foi feita uma dinâmica, com a utilização de um vídeo, a fim de fazer um paralelo com aquilo que acontece no dia-a-dia. Na ocasião, os participantes opinaram e trocaram experiências. Foi um momento muito interessante de construção coletiva.


Regina também abordou a questão da repercussão. Explicou que todas as nossas ações, mesmo as mais simples, do cotidiano, geram impactos nas pessoas e no ambiente. “O fato de, muitas vezes, não conseguirmos medir as consequências de nossos atos, não nos isenta da responsabilidade sobre eles”, alertou.