Módulo com Rosa Viana teve resultado muito positivo


O primeiro Módulo Preparatório para a IV Vivência de Imersão da ACMD teve um resultado muito positivo. O encontro ocorreu em Santos, no último dia 30. A palestrante foi Rosa Maria Viana – que é Doutora pelo Instituto Fundação de Ciências Humanas (IFCH) / Unicamp da área de Concentração, Sociedade, Tecnologia de Meio Ambiente.



Ela também é Mestre em Sociologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBa). Atualmente, é docente da Universidade Salgado Oliveira, de Goiás, onde coordena os programas: “Universo da Paz” e “Universo pela Sustentabilidade da Vida”. Capacita lideranças e educadores, ministrando várias palestras e cursos, inclusive participou da última vivência de imersão da ACMD. Foi consultora das Nações Unidas para o Desenvolvimento do Projeto Agro-Ambiental do Mato Grosso de 1994 a 1996.



A temática do Módulo Preparatório foi a “Sustentabilidade da Vida”. Dentre os assuntos abordados estavam: conceitos de Ecologia, Cultura de Paz e Valores Humanos. Na ocasião, foi exibido o documentário “Uma verdade Inconveniente”, de Al Gore – o qual serviu de base para os primeiros debates.



Segundo o Conselheiro da ACMD, Ronald Luiz Monteiro, estudos internacionais já demonstraram que os problemas ambientais não são “achismo” e sim uma probabilidade científica. Ronald lembrou também que grupos de estudos estão atentos ao lado acadêmico dessas questões – como, por exemplo, o da Fundação Getúlio Vargas (FGV).



“Os problemas estão aí e já podemos senti-los”, disse Rosa Maria Viana. Ela explicou que o aquecimento global é como se fosse uma febre de um organismo vivo chamado Planeta Terra. “Já estão estabelecidas, em média, alterações de temperaturas acima de dois graus”, alerta.



A palestrante frisou que uma das únicas soluções é a sociedade mudar seu padrão de consumo – a fim de colaborar direta e indiretamente para a redução das emissões de gás carbônico. Como forma de colocar isso em prática, também vieram à tona questões sociais como o planejamento familiar, a conscientização e o empoderamento dos cidadãos comuns.



A ACMD entende que não é mais possível ficar alheia a questão da crise ambiental, pois todas as dimensões (ambiental, social e econômica) estão inter-relacionadas e são interdependentes. Dessa forma, para a construção de um mundo melhor para nossas crianças e adolescentes, é preciso atuar de forma sistêmica.