Mortalidade Infantil da Baixada é a maior do Estado de São Paulo.


A taxa de Mortalidade Infantil da baixada Santista é a mais elevada em comparação as demais regiões do Estado de São Paulo: a cada mil bebês nascidos vivos, 18,17 morrem antes de completar 1 ano. Esse foi um dos dados de uma pesquisa sobre o assunto realizada pela Fundação Sistema Estadual de Analises de Dados (Seade) divulgada em 31 de março.


.


Do ano passado para cá, em algumas cidades da região o número de falecimentos aumentou: Mongaguá (de 21,42 para 32,46 – um aumento de mais de dez crianças), Peruíbe (de 18,13 para 25,02), Santos (de 14,81 para 15,49) e Cubatão (de 19,16 para 19,98).


Nossa região ficou acima da média estadual que é de 14,25. Diante desse panorama é fundamental relembrar o trabalho que está sendo desenvolvido pela Pastoral da Criança na Baixada. Vem se mostrando como uma alternativa no combate à desnutrição, cujo sucesso já está comprovado.


Em 2004, a entidade atendeu, em Santos, 25360 crianças. Desse total, faleceram apenas três.


Em linhas Gerais, segundo a pesquisa, o índice estadual de mortalidade infantil caiu 46% nos últimos dez anos. Porém, sabemos que esses índices ainda estão longe do ideal. As regiões que mais tiveram redução foram Bauru, Registro, Marilia. Barretos, Sorocaba e Osasco.