ONU lança versão em português de livro sobre cidades sustentáveis

nooo

noooUma cidade como São Paulo, com mais de 12 milhões de habitantes, enfrenta uma série de desafios no campo do planejamento urbano. Mas, como enfrentá-los? O que é preciso fazer para garantir uma expansão urbana com qualidade de vida para sua população? Para ajudar a trazer alguns possíveis caminhos, foi lançada a versão em português do livro “Por uma estratégia de cidade sustentável: expansão urbana planejada, quadro legal e financiamento autárquico”.

O material foi elaborado pelo programa de Assentamentos Urbanos da ONU (ONU-Habitat), em parceria com o Instituto de Morfologia Urbana e algumas instituições e pesquisadores portugueses, que deram contribuições à análise original.

O trabalho de tradução foi organizado com o propósito de atingir mais pessoas interessadas pelo tema de planejamento urbano e urbanização sustentável, definida como prioridade da ONU-Habitat. Para isso, a publicação fornece métodos e sistemas de planejamento para lidar com questões como crescimento da cidade e da população, pobreza, desigualdade, poluição, trânsito, biodiversidade, mobilidade, energia, entre outros fatores.

A partir do fornecimento de casos reais de planejamento urbano, o documento pretende atingir também outras áreas do conhecimento, como a economia, ao provar que cidades bem planejadas têm, a longo prazo, uma produtividade urbana mais alta e que os fatores financeiros são fundamentais para uma implementação bem-sucedida dos planos.

A primeira parte do livro, por exemplo, faz uma reflexão sobre a criação de novos valores urbanos, com a integração do físico, econômico e do social no planejamento da cidade. Segundo Serge Salat, autor dessa seção, a grande dificuldade do planejamento é fazer com que o triângulo do desenvolvimento urbano (composto por: desenho, financiamento e governança) funcione de forma dinâmica.

Já a segunda parte, sob autoria de Loeiz Bourdic e de Marco Kamiya, aborda questões econômicas relacionadas à produtividade urbana, entendida como a eficiência da utilização dos recursos disponíveis, como mão-de-obra, capital, terrenos, material, energia e informação. Por fim, a terceira parte é reservada à análises de autores portugueses e apresentação de casos desenvolvidos em Portugal. Entre imagens, gráficos, plantas e textos analíticos, o livro conta com mais de 200 páginas e está disponível na íntegra no site da ONU.