Padaria comunitária é inaugurada no Paquetá

Foi inaugurada, em 28 de janeiro, uma padaria comunitária, no bairro Paquetá, em Santos. Recebeu o nome de “Um Só Coração”. A ACMD, junto com a Libra Terminais, participou com a viabilização da compra do imóvel. Desde então, a iniciativa está sendo liderada por dez mulheres, ligadas à Associação dos Cortiços do Centro (ACC). Visa suprir necessidades de 160 famílias – além de ser uma importante fonte de renda. 


A Coordenadora Executiva da ACMD, Deborah Okida, representou a entidade durante a Inauguração. “É bom ver o imóvel começar a ser utilizado em benefício da comunidade em seu entorno”, comentou.


Até hoje, essa empreitada contou também com diversos outros parceiros: a Petrobras, O Instituto HSBC, a Caixa Econômica Federal, o Memorial, O Unimonte e o Instituto Elos – e também, é claro, com a participação dos moradores.


A padaria, localizada à Rua Doutor Cochrane, 154 (em frente ao Cemitério do Paquetá), foi toda construída através de mutirões. Abriga uma área de 50 m², mas no futuro, a intenção é que seja ampliada, com a criação de uma creche 24 horas e um espaço para eventos da comunidade. Tudo isso, fruto do engajamento da população e demais lideranças.


Informações sobre a padaria podem ser obtidas, através do e-mail: samara.acc@gmail.com


Histórico – Em meados de 2005, membros da ACC procuraram a ACMD, a fim de auxiliá-los a viabilizar um local para a instalação de uma creche que funcionasse por 24 horas. A ACMD considerou o projeto de grande importância para aquela região de Santos. 


Numa segunda etapa, a ACMD promoveu um “Café da Manhã” em parceria com a Libra Terminais. O objetivo, na época, foi apresentar o projeto para envolver os funcionários da empresa, seus fornecedores e clientes. O evento reuniu cerca de 60 pessoas e a Libra e seus parceiros deram uma importante colaboração no decorrer da empreitada.


Na fase final, a ACMD regularizou a situação jurídica do imóvel e formalizou a escritura. A partir de então, a ACC se tornou a atual proprietária. Os recursos arrecadados foram administrados através de uma conta conjunta e específica, gerida pelos parceiros do projeto (ACMD/Libra). Durante a entrega do imóvel, uma verba remanescente também foi encaminhada à Associação dos Cortiços, com a finalidade de dar início às primeiras reformas.