Paquetá terá padaria comunitária

Profissionalização com gera- ção de renda, chance para empreender, conquistar qualidade de vida e um futuro melhor para os filhos. Esses são parte dos objetivos de mulheres da Associação dos Cortiços do Centro de Santos (ACC), que passam a contar com uma forte aliada nessa busca: uma padaria comunitária a ser inaugurada no próximo dia 21.


O empreendimento tem investimento modesto ­ de cerca de R$ 100 mil ­ frente à expectativa que alimenta e as possibilidades que vão descortinar para um grupo de dez mulheres, inicialmente, ligadas à ACC.


Viabilizada pelos membros da ACC, em regime de mutirão, com muita obra nos finais de semana, a padaria vai, inicialmente, suprir as necessidades das 160 famílias que integram a associação.


Num futuro próximo, os planos da ACC são os de ter uma cafeteria junto à padaria para servir a comunidade do Paquetá, onde mora a maioria dos membros da associação.


Um espaço para eventos, enquanto uma futura creche 24 Horas não chega, também fazem parte do plano. “O projeto da padaria tem muito a crescer ainda, como todos os outros da associação que ainda não se realizaram”, explicou Samara Faustino, presidente da ACC.


Ela não esconde que a situação não se mudaria tanto sem colaborações. “Embora não possamos parar e esperar a creche por exemplo”, argumentou Samara. “Tudo o que conseguimos é em passo de formiguinha”, brincou.


O último final de semana foi de mutirão no imóvel que fica em frente à portaria principal do Cemitério do Paquetá, em meio às lojas de flores, na Rua Doutor Cochrane.


Parceiro desde 2003 da ACC e realizador do projeto da padaria, o Instituto Elos corre contra o relógio. “Estamos apertados ainda. Faltam coisas”, constatou Natasha Mendes Gabriel ontem. Para começar a virar realidade, a panificadora, que tem cerca de 50 metros quadrados, já passou por mutirões.


O imóvel, com fachada histórica, foi doado à ACC pela Libra Terminais. As obras tiveram patrocínio da Petrobras,do Instituto HSBC e da Organização não governamental Cidadania e Moradia, da Caixa Econômica Federal, além de apoio da Memorial e do Unimonte e a parceria na realização da Associação Comunidade de Mãos Dadas.


Mutirão – 113 apartamentos estão em construção em sistema de mutirão pela ACC. Outros 68 devem ter as obras iniciadas até meados deste ano.