Participantes elogiam vivência da ACMD


A vivência “Meio Ambiente, Espiritualidade e Transformações” – O Líder do Século XXI, realizada entre 27 de abril e 1º de maio, na Fazenda Furquilha, no município de Monte Alegre do Sul (SP), foi um sucesso de acordo com a opinião da maioria dos 21 participantes.


“Foi incrível. Todo mundo tem que fazer uma vivência dessas pelo menos uma vez na vida, para refletir melhor sobre sua atuação na sociedade e no planeta”, disse Tammy Weiss, Coordenadora das Oficinas Querô. Além disso, segundo ela, também foi muito interessante aprender a respeito de diversas vertentes do conhecimento. “Eu me envolvi bastante”.



“A gente se descobre mais como pessoa. Foi surpreendente”, afirmou o jovem Victor Luiz dos Santos, de 19 anos. Ele foi um dos diretores do curta-metragem “Maria Capacete”, fruto das Oficinas Querô. Victor vê sua participação como um privilégio. “Que bom poder desfrutar de todo esse conhecimento desde cedo. Você vem de lá outra pessoa. É uma mudança que surge de dentro para fora”, comentou.



O respeito às diferenças também fez parte da vivência. “Eu, enquanto deficiente (visual), me senti perfeitamente acolhida”, afirmou Neusa Alves, membro do Conselho Municipal para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência (CONDEFI). “Foi muito gratificante. Gostaria de ressaltar a excelência dos professores e também a união do grupo. Eu fiquei muito entusiasmada”, acrescentou.



A vivência consiste num programa de imersão, funciona como uma oportunidade de reflexão e aprimoramento pessoal. Os participantes ficaram, em tempo integral, hospedados numa fazenda. O local dispõe de toda infra-estrutura necessária, contando com dormitórios, banheiros, área de convivência e espaço para refeições.



Durante a vivência, há palestras, dinâmicas e troca de experiências. Os temas abordados foram desde uma visão do planeta e nossa relação com o meio ambiente, o potencial humano, a liderança servidora, a espiritualidade, as tradições e a sabedoria de diversos povos e culturas. Segundo a Diretora Executiva da ACMD, Deborah Okida, a Associação vem se aprimorando na realização desse tipo de evento. “A cada nova edição promovemos alterações, com a finalidade de melhorar ainda mais. E a satisfação do público vem comprovando isso”, declarou.



A finalidade deste tipo de evento é o desenvolvimento humano, através de um conteúdo multidisciplinar, tendo como eixos orientadores o meio ambiente, a espiritualidade e os valores universais, colaborando para que os participantes possam ter uma nova visão de mundo, guiados por valores e responsabilidade social, gerando, assim, prosperidade para todos.



Esta vivência trouxe algumas novidades. A facilitadora do evento foi a psicóloga Marion M. L. Monteiro. Na programação, foi abordado, por exemplo, assuntos de extrema importância como o aquecimento global.



Com essa nova metodologia, os participantes também assumiram a função de co-autores da vivência, pois elaboraram conteúdos e, depois, os apresentaram ao restante do grupo. Atividades corporais – duas vezes ao dia e em horários fixos – também fizeram parte das inovações.



Essa capacitação apresentou um tipo de pensamento inovador para as lideranças, possibilitando uma abertura de visão com foco na excelência humana e na construção de uma cultura de paz em todos os ambientes.