Pesquisa sobre evasão escolar mobiliza autoridades e mídia


A apresentação da pesquisa inédita, promovida pela ACMD, sobre Evasão Escolar em Santos mobilizou autoridades e a mídia regional. O encontro, ocorreu em 16 de maio na sede da Associação. Estavam presentes cerca de 20 profissionais envolvidos com o direito da criança e do adolescente. Dentre elas, o Juiz da Vara da Infância e Juventude, Dr. Evandro Renato Pereira.


Devido à relevância do assunto vários meios de comunicação fizeram a cobertura do evento. Compareceram as Tvs Tribuna, Mar e Santa Cecília. Dentre os jornais, vieram A Tribuna e Expresso Popular.


A pesquisa foi desenvolvida pela assistente social, Hilda Rocha Senger, especialista em educação popular. O levantamento de dados se refere ao primeiro semestre de 2004. Teve como objeto de estudo Fichas de Comunicação do Aluno infrequente (FICAIs), emitidas pelos três Conselhos Tutelares do município (Zona Leste, Zona Centro e Zona Noroeste). Foram analisados, 396 casos.


A FICAI vigora em Santos desde 2003, quando tornou-se uma Resolução Normativa (59/2003), do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA). A ficha pode ser utilizada pelas três redes de ensino: Municipal, Estadual e Particular. Elas devem ser preenchidas pelas escolas e encaminhadas ao Conselho Tutelar, quando um aluno falta por 5 dias seguidos ou 10 alternados.


Segundo a pesquisadora, esses 396 casos correspondem a uma parcela da evasão escolar. Ela estima que, naquele período, o total de crianças evadidas é cerca de 700. Para o Diretor Executivo da ACMD, Eduardo Vianna Junior, a FICAI cumpri uma função muito importante: traz o aluno de volta às aulas antes que ele ultrapasse o limite máximo de faltas, que é 25%.


Assim, a utilização da FICAI evita que a criança perca o seu ano letivo. O levantamento mostrou que essas fichas trouxeram 133 estudantes de volta às salas de aula. Conforme explicou Eduardo Vianna Junior, essa quantia é muito significativa, pois 133 alunos correspondem a 4 classes.


Conforme explicou, Hilda Senger, no levantamento, dá sugestões para otimizar a utilização da ficha. Para ela, as escolas registram a infrequência de modo variado, sem uma unificação, o que dificulta o controle. Ela propõe ainda que as instituições tenham um arquivo exclusivo para as fichas, separado dos demais prontuários e históricos escolares.


Veja abaixo, o resultado geral da pesquisa:


Total de casos de evasão registrados por meio da FICAI, no primeiro semestre de 2004: 396. Desse total chegou-se ao seguinte resultado:


133 alunos retornaram às aulas.


106 casos sem resposta


57 cancelamentos ou transferência de matrícula


53 casos foram encaminhados ao Ministério Público


47 alunos não voltaram às aulas.