Plano decenal: crianças e adolescentes são protagonistas

Entre os dias 7 e 10 deste mês, ocorreu no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, a 8ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, que contou com a participação de 1.800 delegados de todo o País, sendo 600 deles crianças ou adolescentes, que tiveram direito a voto igualmente aos adultos.


Assim como ocorreu nos municípios, regiões metropolitanas e estados, a Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente tem o objetivo de criar um plano de ação para os próximos dez anos, com o tema “Construindo diretrizes da política e do Plano Decenal”, que reuniu ações do Grupo de Trabalho Interministerial, balizadas pelo Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda).


Muitas personalidades passaram pelo evento, entre elas a professora da Pontifícia Universidade Católica (PUC/RJ), Irene Rizzini, diretora do Centro Internacional de Estudos e Pesquisas sobre a Infância (CIESPI) e presidente da Rede Mundial de Pesquisa Childwatch International, comissionado e relator da Criança na Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização Estados Americanos (OEA), Sérgio Pinheiro, o presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Márcio Pochmann, e o advogado da área dos direitos infanto-juvenis Renato Roseno de Oliveira, Marco Antônio da Silva, coordenador geral do Projeto Meninos e Meninas de Rua de São Bernardo do Campo e Guarulhos (SP), e Paulo Afonso Garrido, procurador de Justiça do Ministério Público de São Paulo, a subsecretária Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente.


Nos dois últimos dias foram reservados para plenária e votações das propostas para o Plano Decenal. Todas as mesas contam com representantes das crianças e adolescentes. O resultado das plenárias, assim como o plano decenal deve ser divulgado em breve para a imprensa.