Projeto da Prefeitura de Santos “Mãe Santista’ inicia nova fase

maesantista

maesantistaOs sentimentos de proteção, carinho e de valorização tomaram conta das gestantes que estiveram nesta quinta-feira (28) no Fundo Social de Solidariedade (FSS). Elas receberam os novos kits do Programa Mãe Santista, entrando agora em nova fase nos cuidados com as mulheres até os 24 meses de vida do bebê e na meta de reduzir ainda mais a mortalidade infantil.

No lançamento, também foram anunciadas a inserção do ultrassom morfológico nos exames de pré-natal, a Escola das Mães e o aplicativo da escola. A partir do próximo mês, ao iniciar o pré-natal na rede pública, toda gestante receberá uma bolsa para guardar exames, pasta com carteira da gestante, cartilha e folderes explicativos. Mais: na consulta odontológica, ganhará escova de dente, pasta e fio dental.

Já ao final da gestação, terá – junto do enxoval para o bebê, montado pelo FSS – uma nécessaire com kits de higiene e bucal, escova de cabelo, preservativos masculino e feminino e um par de chinelos com slogan do programa. “Levamos em conta a mulher e não só o bebê. São acessórios para ela ter uma experiência melhor do parto”, explicou a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Maria Ignez Barbosa. O programa foi criado em 2013 e até o momento já atendeu mais de 7 mil mulheres.

Outra novidade para fevereiro é a Escola das Mães. Compreende conjunto de atividades educativas que serão promovidas nas unidades de saúde tornar a mulher mais ativa com o próprio cuidado. A princípio funcionará nas unidades de saúde do Jabaquara, Região Central Histórica, São Manoel, Aparecida, José Menino/Pompeia, Vila Mathias, além do Instituto da Mulher e Gestante.

A ampliação acontecerá gradativamente, conforme a capacitação dos servidores que coordenarão a escola. Abordará temas que vão desde saúde reprodutiva à gestação e outros assuntos. Promoverá mais vivências práticas, com o uso de kits educativos que simulam parto, tipos de mamilo e o peso da barriga. A participação será aberta para as pessoas da rede pública e da privada, incluindo para mulheres que não pensam em engravidar.