Projeto vai publicar o primeiro livro de jovens talentos paulistas

Reading time

Reading time

Reading time

Reading time

Alunos escritores da rede estadual paulista terão a chance de tirar seus textos “da gaveta”. Em parceria com a ONG Primeiro Livro, jovens e crianças da Secretaria da Educação podem participar do projeto e ter as obras publicadas. Criada pelo professor de Língua Portuguesa Luís Junqueira, a iniciativa reuniu no ano passado 300 estudantes de Alagoas e da rede municipal de São Paulo. Todos saíram com 25 cópias na mochila.

Ao longo dos próximos meses, as escolas interessadas receberão apoio de educadores da organização. A ideia é que eles auxiliem os jovens na criação da obra, desde gênero, texto, personagens, ilustrações, entre outros componentes de um livro. A escolha do enredo é livre. Para participar, as equipes gestoras de unidades de Ensino Fundamental e Médio devem enviar uma mensagem para contato@primeirolivro.net. No Portal da Educação (www.educacao.sp.gov.br) também há mais informações sobre o projeto.

Não é difícil encontrar na rede jovens escritores. É caso de Grazielly Ribeiro, da Escola Walter Barretto Melchert, de Bauru. A aluna da 3ª série do Ensino Médio sempre gostou de escrever e sonhava em publicar um dia o próprio livro, “mas só quando estivesse mais velha”. Aos 16 anos, no entanto, a estudante está prestes a encerrar o seu segundo livro: “Herdeiros”. O romance dá continuidade à saga de Lya, uma menina imortal que quer reverter tal condição.

A primeira experiência na escrita começou em uma rede social em que escritores e leitores interagem. Cinco meses depois de publicar o primeiro capítulo, ela alcançou a marca de 10 mil leituras. “Imortais” fez tanto sucesso que Grazielly foi uma das convidadas da XVII Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Há um ano, a aluna se dedica ao segundo livro pela Editora Nacional. Enquanto isso não acontece, alguns capítulos (com exceção do final, claro) já estão na Internet.