Protagonismo Juvenil: Arte e Esporte

Sensibilizar e engajar adolescentes em situação de vulnerabilidade social rumo à transformação de suas próprias vidas. Este, certamente, é um dos grandes desafios dos novos tempos.


As “tentações” como drogas e a facilidade de envolvimento com o crime aumentam, e muito, as possibilidades de desvios. A recorrente desagregação das famílias e o incentivo ao consumo exagerado agravam ainda mais essa realidade, que já é tão preocupante.


Com o intuito de reverter esse quadro, a Associação Comunidade de Mãos Dadas (ACMD) – que atua na Defesa dos Direitos e Deveres de Crianças e Adolescentes – escolheu, em conjunto com a comunidade, o protagonismo juvenil como um dos seus grandes objetivos, há cerca de cinco anos.


Ao longo dessa trajetória, a experiência nos mostrou que existem, dentre outras, duas maneiras verdadeiramente eficazes de engajar adolescentes em condição de risco social. Trata-se da inclusão por meio da arte e também através do esporte.


É, nesse sentido, que se deve a aproximação da ACMD com a Gullane Filmes e, consequentemente, com as Oficinas Querô. Parceira do projeto desde o inicio, a Associação pôde acompanhar de perto todo o crescimento e os avanços alcançados. Dentro disso, destaca-se os cerca de 300 jovens capacitados em audiovisual, os prêmios em relevantes festivais de cinema – além da concepção e das primeiras realizações da produtora Querô Filmes.


Passando do foco da arte para o esporte, a ACMD inova mais uma vez. Há aproximadamente dois anos, a Associação elaborou o projeto “Polo Aquático: O Esporte como Ferramenta de Inclusão Social”. Duas versões diferentes desse projeto já foram aprovadas, demonstrando sua importância.


Uma que recebeu o aval do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Santos – que emitiu um Certificado de Captação de Recursos – através do qual a ACMD recorreu às empresas. O projeto – que já acontece em Caruara (região continental da Cidade) – começou as atividades no ano passado e termina sua primeira fase em julho.


Já a outra versão do projeto, mais ampla, foi aprovada no Ministério do Esporte – que pode ser financiada através de uma Lei Federal de Incentivo, a qual permite, inclusive, destinação de parte do Imposto de Renda a pagar. O projeto conseguiu recentemente renovar a permissão para poder continuar captando, junto à iniciativa privada, recursos financeiros que o viabilizem.


Ainda falta uma boa parcela para ser angariada e, por isso, solicitamos gentilmente o engajamento de possíveis interessados em destinar. Algumas empresas já colaboraram. Só que o projeto é grande – cerca de 600 mil – o que é um grande desafio. Portanto, precisamos do apoio de todos!


* Marcelo Bechelli Monteiro é Empresário e Presidente do Conselho deliberativo da ACMD.


– A divulgação deste artigo em outros meios de comunicação é livre. Pedimos que apenas entrem em contato para informar o uso do material. Porém, se faz obrigatório que o conteúdo seja veiculado na íntegra, sem quaisquer alterações e que seus autores sejam citados.
O descumprimento acarretará implicações legais.
Ao divulgar, você estará colaborando conosco na conscientização dos Direitos e Deveres da Criança e do Adolescente.


Artigo publicado no Jornal A Tribuna, em 16 de março de 2011 – pág.: A2