Quero filmes vai produzir o primeiro longa-metragem

quero

queroA Querô Filmes se prepara para produzir o seu primeiro longa-metragem: “Polacas”. A produtora santista, que já atua há 8 anos no mercado audiovisual, acaba de ser selecionada junto a outros 14 projetos no Concurso de Apoio ao Desenvolvimento de Longa-Metragem promovido pelo ProAc – Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo.

No edital, os produtores culturais recebem 80 mil reais do governo do Estado para dar vida à obra audiovisual e realizar toda a etapa de pesquisa e investigação do caso. Assim, será possível à Querô Filmes recuperar uma história que tem instigado a diretora, Suzy Milstein, a pesquisadora, Luciana Denjulio e a produtora, Tammy Weiss.

O longa-metragem vai abordar a existência do tráfico de mulheres judias, imigrantes da Europa Oriental, vindas em situação de miséria aos países da América em busca de melhores condições de vida. “O caso dessas mulheres se diferencia pois as Polacas, assim chamadas, eram segregadas na sociedade e na própria comunidade judaica por terem se submetido à prostituição como forma de sobrevivência”, explica a diretora.

Além de propor uma reflexão sobre questões que dizem respeito à cultura judaica, o filme também objetiva revisitar os lugares frequentados por essas mulheres. “Rastrear vestígios, ainda que sejam ínfimos, é uma maneira de dedicar um olhar atento às Polacas, tornando possível a recuperação de histórias que até então permaneciam esquecidas e pouco divulgadas na sociedade”, comenta Suzy.

“Ficamos realmente muito felizes com o prêmio e reconhecimento. Agora temos muito trabalho para desenvolver a pesquisa e mergulhar nessa história, um projeto construído coletivamente”, comenta a pesquisadora Luciana. O Cemitério Israelita das Polacas, localizado em Cubatão e tombado como patrimônio histórico-cultural da cidade, é o ponto de partida da investigação.

Para Jefferson Paulino, sócio-diretor da Querô Filmes, recontar essa história representa um marco à região. “A produtora tem uma ligação muito forte com documentários e já produzimos importantes projetos em séries e curta-metragens para o Canal Futura e Sesc. Poder abordar esse tema como nosso primeiro longa será um privilégio”.

“Poder resgatar a história das Polacas é um marco para a região, não só pelo contexto histórico que ela representa, mas também para fortalecer cada vez mais a importância e o papel da mulher em nossa sociedade, buscando a igualdade entre os gêneros”, comenta a produtora Tammy Weiss.

Dez anos de Querô na ACMD
Em 2005, a Gullane Filmes procurou o Unicef para pedir indicação de uma entidade da Baixada Santista que realizasse um trabalho de confiança na área dos Direitos da Criança e do Adolescente. O Unicef indicou sua parceira na Região, a ACMD, que na época, já realizava diversas ações exitosas. A partir de então, a ACMD ativou seu trabalho em rede, o que possibilitou o contato com diversas empresas e entidades.

O projeto cresceu e se transformou no Instituto Querô, que realiza as oficinas e a Quero Filmes, uma produtora audiovisual, pra onde são encaminhados os profissionais de destaque das oficinas. Nesses 10 anos, centenas de crianças e adolescentes foram atendidas, dezenas de filmes foram produzidos e dezenas de prêmios conquistados. A ACMD continua como parceira institucional do Instituto Querô.