Rede Sementeira lança livro em comemoração aos 10 anos

Na última segunda-feira (30 de novembro) foi lançando no Centro Cultural Fundação Lusíada, o livro “Rede Sementeira – Dez anos semeando o futuro das crianças”. A publicação de 25 páginas conta a história da Rede, que é uma das pioneiras na articulação entre entidades em comum e contou com participação importante da ACMD desde a sua fundação.


O livro, que foi organizado pelo jornalista Ferdinando Casagrande, conta a trajetória de um movimento de mobilização social que foi criado há 10 anos, unindo entidades sociais, com o nome de Rede Sementeira. O objetivo foi criar uma união forte entre organizações da sociedade civil sem fins lucrativos (OSCs), em que todas as instituições pudessem contribuir de alguma forma, criando um compartilhamento solidário de informações e plano de ações de interesse comum, voltados para a melhoria do atendimento prestado às crianças, adolescentes e suas famílias.


Uma das lideranças da Rede, Wilma Monteux, comentou sobre a experiência de elaboração do livro. “Este livro é uma grande alegria para nós. É acima de tudo uma forma de compartilhar. Mostrar os acertos e soluções que alcançamos, para poder ajudar outras redes a se formar”.


A Rede Sementeira foi criada em outubro de 1999 por iniciativa ACMD, que se uniu ao Instituto C&A de Desenvolvimento Social, que já trabalhava projetos de formação de grupos associativos. Na ocasião do lançamento, o Presidente do Conselho Deliberativo da ACMD comentou sobre a participação. “Esta Rede deu muitos frutos e conseguiu muitas conquistas. Escreveu uma história não só para Santos, mas também deu um caminho para outras redes, demonstrando soluções para problemas em comum. A ACMD tem muita satisfação de ter compartilhado de tudo isso”.


O Instituto C&A desenhou o programa de capacitação e contratou a consultora Celia Schlitlher, especialista em grupos, redes e desenvolvimento comunitário para conduzir o treinamento, concedendo apoio técnico e financeiro durante dois anos, para a formação do grupo de facilitadores das organizações que integravam a Rede Sementeira. “A Rede Sementeira soube crescer sem perder suas características: ser horizontal e ter autonomia. Fico muito orgulhosa de ter participado desse processo”, afirmou.


Hoje se constitui de 39 organizações-membro, que representam um universo de 6.882 crianças e adolescentes e suas famílias, em levantamento feito em setembro de 2009. Mantém-se aberta a novas adesões de OSCs com foco no atendimento a crianças e adolescentes nas áreas de educação e saúde, e que possuam registro de funcionamento junto ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. E também de organizações de outros setores, público e privado, que queiram contribuir com a causa.