Semana Nacional pela Cidadania e Solidariedade

O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade realiza no próximo dia nove a abertura oficial da Semana Nacional pela Cidadania e Solidariedade, às 11horas, no auditório do Parlatino – Memorial da América Latina, na Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564 – Barra Funda – São Paulo.A cerimônia contará com as presenças do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, do Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, da Prefeita da Cidade de São Paulo, Marta Suplicy, de representantes da sociedade civil, do governo federal e municipal.Empresas, associações e organizações sociais, entidades de classes profissionais, sindicatos, ONGs, fundações, institutos, universidades, representantes dos poderes públicos, movimentos religiosos e igrejas, grupos, segmentos, comunidades, enfim, uma parcela significativa da sociedade civil brasileira, se uniram para lançar a Semana Nacional Pela Cidadania e Solidariedade. Um movimento apartidário e ecumênico. Estão sendo desenvolvidas e colocadas em prática, idéias pioneiras no mundo: uma campanha permanente pelas Metas do Milênio e uma semana anual permanente para balanço e prestação de contas, dos governos e da sociedade, quanto à situação das ações concretas para as Metas do Milênio no Brasil.A Semana Nacional pela Cidadania e Solidariedade, de 9 a 15 de agosto, por todo o país, terá Herbert de Souza, o Betinho – como símbolo da solidariedade e defesa da vida. E tem como plataforma os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, um compromisso entre a ONU e seus países membros, inclusive o Brasil, firmado em Setembro de 2000. São oito macro-objetivos, que os países têm que atingir até 2015, através de ações concretas dos governos e da sociedade (clique aqui para conhecer as metas: www.nospodemos.org.br). As “oito Metas” servirão como balizamento e uma indicação para que cada brasileiro faça algo na sua comunidade, no seu espaço de atuação e de vivência, doando-se um pouco mais num projeto nacional de solidariedade. Trata-se, portanto, de um movimento que envolve grande mobilização, o que somente será possível se contarmos com a articulação, o apoio decisivo das diversas redes e a participação dos responsáveis pelas políticas governamentais. Informações: (11) 4689 3153.