Seminário alcança objetivos e reúne 200 pessoas


A ACMD realizou o seminário, intitulado “Redes e Responsabilidade Social”, em Santos, no Mendes Convention Center, nos dias 21 e 22 de novembro. Participaram do evento cerca de 200 pessoas. A abertura foi marcada pela presença de várias autoridades.



Na ocasião, o Presidente do Conselho Deliberativo da ACMD, Marcelo Bechelli Monteiro, ressaltou a importância do Seminário, dizendo que a disseminação do conhecimento faz parte dos Grandes Objetivos da ACMD.



O primeiro palestrante da noite foi o Secretário Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social, Rogério Amato. Comentou que o cerne da exclusão social é a má distribuição de renda e que a inclusão só vai acontecer efetivamente através do aumento da escolaridade. Ele citou que um bom projeto social deve ser simples, útil e para o bem.



O Secretário também explicou o conceito de “Empreendedor cívico” que, segundo ele, é aquele empresário que exerce sua Responsabilidade Social. Amato enalteceu a importância do trabalho em rede e da fiscalização por parte da Sociedade Civil. “Todos trabalhando juntos. É um grande desafio”. Ele deu como exemplo a Rede Social São Paulo.



Em seguida, Aerton Paiva, Diretor da empresa Apel – Consultoria de Projetos, fez uma explanação focada para o empresariado: “Cada empresa tem um papel social a cumprir no âmbito sócio-ambiental”. Para ele, as corporações devem, na realidade, agir com o objetivo de reverter o que for negativo e potencializar o positivo. Conforme lembrou o palestrante, cada cidadão também deve assumir sua parcela de responsabilidade.



“Nós, como consumidores, temos um grande poder em mãos (o poder de optar por só adquirir produtos de empresas que sejam realmente compromissadas). Para isso, segundo Aerton, podemos buscar orientações em entidades especializadas no assunto, como o Instituto Akatu.



O próximo palestrante foi Francisco Azevedo, Representante da Fundação AVINA no Brasil (Região Sudeste e Distrito Federal). Comentando a respeito do panorama atual, o conferencista afirmou que o problema não é o lucro em si, mas a maneira como ele é obtido.



Francisco comentou que hoje em dia, tanto as empresas, como as entidades do Terceiro Setor têm que apresentar algumas características em comum: profissionalização e flexibilidade. O palestrante também frisou a importância de se firmarem parcerias entre os três setores: “A base do sucesso de qualquer parceria é a clara definição de funções e a confiança entre os envolvidos”, finalizou.



O Prefeito de Santos, João Paulo Tavares Papa, também participou demonstrando o projeto governamental “Santos Criança”. Visa realizar um atendimento integrado englobando os programas sociais já existentes nas secretarias municipais. É voltado à crianças de 0 a 14 anos e teve início no último mês de agosto. Está sendo organizado um cadastro único que reunirá dados de cada criança. Segundo o projeto, a cidade passará a ter, a partir do próximo ano, um orçamento específico para este público e distribuído nas diferentes áreas do governo. Também pretende-se atuar junto à escolas, sociedades de bairros e ONGs. “O governo de Santos acredita numa só alternativa: a junção de esforços, de uma rede de colaboração verdadeira”, afirmou Papa. E Acrescentou que “esse projeto vai contribuir muito para um futuro mais justo”.



No encerramento da primeira noite do seminário, houve uma apresentação cultural da Oficinas Querô protagonizada pelos garotos, da Baixada Santista, que participaram do filme Querô, inspirado no livro de Plínio Marcos, produzido pela Gullane Filmes, com direção de Carlos Cortez, cujo enredo retrata a realidade de adolescentes em situação de risco. Também estavam presentes, na ocasião, produtores das Oficinas (Thalita Afonso Sampaio e Joaquim Eduardo Teixeira), além da Coordenadora do projeto, Tammy Weiss. Foram apresentados os filmes “Eu fiz Querô” e “Torto”. Torto foi um dos curta metragens produzidos pelos jovens e que inclusive já ganhou alguns prêmios.



No segundo dia do seminário foram promovidos Módulos específicos para cada setor. O do Primeiro Setor foi intitulado “Políticas Públicas para a Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente” e teve como palestrante o promotor da infância e juventude de Praia Grande, Carlos Cabral. As apresentações de casos referentes a esse Módulo foram: Combate à Evasão Escolar, Redução da Mortalidade Infantil e Convivência Familiar.



“Ética e Responsabilidade Social” consistiu na temática tratada no Módulo II destinado ao ambiente empresarial. O palestrante foi o psicanalista e comunicólogo, Walmir Cedotti. Para esse setor estavam relacionadas as seguintes apresentações de casos: Ferramentas para a Auto-avaliação das Empresas, Mecanismos para o Engajamento e Voluntariado.



Já o último Módulo abordou a questão da “Sustentabilidade” no Terceiro Seto re foi apresentado por Rosa Maria Fischer, socióloga e diretora da CEATS/FIA. Dentre suas respectivas apresentações de casos encontraram-se a Elaboração de Projetos e Oportunidades para a Mobilização de Recursos, o Fortalecimento dos Conselhos de Direitos e Tutelares e a Importância do Trabalho em Rede.



O encerramento seria feito por Regina Migliori com o tema “Expansão do nível de consciência, somos todos responsáveis”, porém, por motivos de saúde, Regina não pode comparecer. O encerramento foi feito com a apresentação de mais um curta metragem das Oficinas Quero e com os agradecimentos da equipe da ACMD.