UNICEF celebra 70 anos com trabalho pelas crianças mais vulneráveis do mundo

crianca

criancaNo 70º aniversário de sua criação, o UNICEF celebra o imenso progresso feito para as crianças de todo o mundo – e renova o apelo urgente para que se alcancem milhões de meninas e meninos cuja vida e cujo futuro estão ameaçados por conflitos, crises, pobreza, desigualdade e discriminação.

“O UNICEF foi criado após a Segunda Guerra Mundial para levar ajuda e esperança para todas as crianças em risco ou em necessidade – não importando em que país elas viviam ou que papel seu país desempenhara na guerra. Nossa missão não é menos urgente e universal hoje”, disse o diretor executivo do UNICEF, Anthony Lake. “Com tantas crianças em todo o mundo com tamanha necessidade, estamos novamente nos comprometendo a entregar resultados para cada criança”.

A organização foi criada pela Assembleia Geral das Nações Unidas para ajudar crianças do pós-guerra, na Europa, na China e no Oriente Médio. Financiada inteiramente por meio de contribuições voluntárias dos governos, da sociedade civil, do setor privado e dos cidadãos interessados, expandiu rapidamente seu alcance e em 1955 já estava trabalhando pelas crianças em mais de 90 países.

Hoje, o UNICEF é a maior organização do mundo dedicada às crianças, trabalhando com parceiros em 190 países e territórios e contando com os esforços de 13 mil funcionários nacionais e internacionais para alcançar cada criança.

O incansável empenho do UNICEF nos lugares mais difíceis do mundo ajudou a criar notáveis progressos para as crianças nas últimas décadas. O número de crianças que morrem antes do seu quinto aniversário foi reduzido em mais da metade nos últimos 25 anos. Centenas de milhões de crianças saíram da pobreza. As taxas de abandono escolar entre as crianças em idade escolar primária foram reduzidas em mais de 40% desde 1990.

Desde sua criação, o UNICEF respondeu a milhares de emergências humanitárias afetando crianças. Em 2015, o UNICEF e seus parceiros vacinaram 11,3 milhões de crianças contra o sarampo em países afetados por crises; proporcionaram o acesso formal ou não formal à educação para 4 milhões de crianças em situações de emergência; e forneceram apoio psicossocial para 2 milhões de crianças atingidas por conflitos ou desastres naturais.

Apesar desse progresso impressionante, milhões de crianças ainda estão sendo deixadas para trás porque vivem na pobreza ou em comunidades difíceis de se alcançar, por causa de seu gênero, raça, religião, grupo étnico, ou porque têm uma deficiência. Quase 250 milhões de crianças estão crescendo em países afetados por conflitos e quase 50 milhões de crianças foram obrigadas a deixar suas casas.

“A visão do UNICEF para os próximos 70 anos é de um mundo em que nosso trabalho não seja mais necessário – um mundo no qual cada criança seja saudável, esteja em segurança, tenha acesso à educação, seja cuidada e protegida… e todas as crianças possam aproveitar ao máximo seu potencial”, disse Lake.